1 OUTRO OLHAR

Seja bem vindo ao meu espaço democrático onde não há censura, aqui não quero criar ideologias e nem doutrinas de vida e sim, expressar a minha opinião sobre aquilo que me causa inquietação. Pode ser que o meu OUTRO OLHAR não esteja na mesma direção do seu, isso não me incomoda, pelo contrário prova que cada um é pautado nas suas experiências e têm sua forma de pensar e analisar.

domingo, 10 de maio de 2009

BUSCA NEURÓTICA.


Hoje vivemos no sufoco de manter a aparência e de dar uma resposta ao sistema, resposta esta que muitas das vezes mata a nossa verdadeira identidade, e pra ser, temos que entrar no jogo da hipocrisia. A sociedade contemporânea ensina que para ser um herói de verdade é preciso está na primeira classe das aparências, coberto de bens materiais e vazio de sim. Baseado neste contexto muita gente que não conseguiu galgar os altos degraus de uma carreira se convence de que não valeu à pena. E essas pessoas são tratadas como uma multidão de fracassados. As indústrias das retóricas motivacionais estão infernizando a auto-estima de muita gente pregando, ditando regras e trilhas de como chegar ao pódio com se herói fosse só aqueles que conseguiram chegar ao último degrau de uma carreira mesmo que para tal conquista destrua a si mesmo.

Herói de verdade independente da posição que ocupa é aquele que trabalha para realizar seus projetos de vida, e não para impressionar os outros. O mundo precisa de pessoas mais simples e transparentes. Os heróis são aqueles que não negam suas raízes, dão importância as pequenas coisas e não medem esforços para batalhar. Sabem pedir desculpas e admitam que erram.
O grande problema social é que, hoje em dia, essa tal de globalização exige que busquemos intensamente o sucesso, no relacionamento, na profissão e etc. e qualquer fracasso pode ser punido com o desprezo. Parece que, se não formos espetacular em tudo o que fazemos, somos um perdedor. E outra: nesse jogo de aparência e ostentação, em que o consumismo está sendo mais valorizado do que os sentimentos, as pessoas se encontram mas não se relacionam, trabalham mas não se realizam e, principalmente, vivem sem conhecer a si mesmo. As pessoas tentam ser super-heróis e acabam se tornando superdepressivos. Na tentativa de parecer ser e ter o máximo, acabam vivendo com o mínimo…
O resultado dessa busca neurótica é um vazio insaciável. Porque ninguém consegue viver na ilusão de ser o máximo por muito tempo. Uma hora a máscara cai e o super-herói volta a ser um ser humano.

* Baseado em trechos do livro Heróis de Verdade de Roberto Shinyashiki
.

Um comentário:

I.M.M. Junior disse...

Concordo com essa idéia. É verdade que de fato as pessoas estão perdidas e paulatinamente morrendo com a "pressa", "ruído" e ideologia global. As pessoas se encontram adormecidas pela "emoção global" promovida pela indústria de cultura.

As pessoas só precisam de uma coisa: Retomar o sentido e propósito da vida.

O propósito e sentido da vida se encontram em Deus que promove uma vida fundamentada em algo que o mundo não pode dar: O Amor.