1 OUTRO OLHAR

Seja bem vindo ao meu espaço democrático onde não há censura, aqui não quero criar ideologias e nem doutrinas de vida e sim, expressar a minha opinião sobre aquilo que me causa inquietação. Pode ser que o meu OUTRO OLHAR não esteja na mesma direção do seu, isso não me incomoda, pelo contrário prova que cada um é pautado nas suas experiências e têm sua forma de pensar e analisar.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

DRIBLANDO A SECRETÁRIA "OI"


Quem será o abençoado cliente da operadora de celulares “Oi” que nunca teve que encarar aquela abusada secretária eletrônica que sabe tudo e não resolve nada? A qualquer descuido na respiração do cliente durante o contato a secretária diz logo: senhor não entende vamos voltar ao menu inicial e lá se começa todo inferno e haja prova de paciência e tolerância. Esta operadora que distribui linhas e bônus pelo Brasil afora, mas aos finais de semana também descansa impossibilitando qualquer ligação principalmente se for da promoção “31 anos” é campeã de reclamações junto ao PROCON, está nos tribunais de pequenas e grandes causas e ridiculariza o direito do consumidor sem a menor preocupação em respeitá-lo.


É cansativo passar mais de 1h ouvindo aquela insensível secretária que ouve de tudo e só fala o programado como: fale o motivo de sua ligação, por exemplo... você pode dizer .... então como posso te ajudar...desculpe não consegui entender.... Desculpe.... Começar de novo, está certo ou errado. Desculpa não entende e o tempo passando. A nova lei do Call Center aprovada pelo congresso nacional é alterada na Oi que em vez da primeira opção ser o atendimento pessoal nesta operadora a 1ª,2ª, 3ª 5ª 10ª e quantas opções houverem que atende é a secretária. Num jogo de publicidade intensa, vantagens exuberantes e minutos e minutos de graça nos tornamos reféns deste péssimo serviço. A Oi libertou o cliente dos desbloqueios dos aparelhos mas bloqueio todas as vias de acesso ao bom atendimento e a satisfação do cliente implantando um serviço ruim, atendimento pós-venda de péssima qualidade, e promoções que não são exatamente aquelas que o cliente espera depois da venda. O consumidor nesta guerra desumana da sociedade do consumo era pra ser respeitado como mola mestre da manutenção do capitalismo brasileiro, ou seja, atendimento com eficiência.


A “Oi” faz de tudo para prender o cliente com catálogos imensos de promoções, bônus e minutos grátis, ela tolera processos e mais processos, todavia jamais ouvir do cliente “QUERO CANCELAR A MINHA LINHA” isto significar uma ameaça para corrida ao pódio dos lucros. Diante desta verdade existe uma forma de driblar a secretária, ter um atendimento pessoal, agilizar o serviço aos reféns da “oi” e finalmente se livrar das redes de perguntas da ineficiente secretária. É somente dizer ao robô da Oi “CANCELAMENTO”, (embora não seja o seu objetivo) sua ligação é passada imediatamente sem burocracia se possível até para o presidente, mas cancelar não vai ser tão fácil. Só assim é possível ganhar tempo e evitar o calvário que todo mundo de uma forma ou de outra já sofreu do outro lado da linha esperando uma atendente mecanizada dizer: “Senhor aguarde um momento”, e se vão 5, 10, 15, 20 e tantos minutos da sua vida e da sua paciência e logo depois: “Senhor, vou estar transferindo, o senhor para o setor responsável” e como deboche “posso ajudá-lo em mais alguma coisa?” fora isso o show de gerúndio que estressa até o menos letrado “vou estar enviando, passando, contando, calculando e tanto ando e nada anda.

Um comentário:

Pedro Melo disse...

Boa postagem. Essa é uma realidade, por isso que não sou mais cliente da OI.